Vale a pena investir na Bolsa em 2018? Por enquanto a resposta é sim

Eu sou um “broker”. Em outras palavras, há alguns anos eu invisto na Bolsa de Valores (Bovespa) no aconchego do meu lar.

Escrevo estes textos para estimular algumas pessoas que têm algum dinheiro, mas morrem de medo da Bolsa. Não é um bicho-papão. Ao contrário. É uma das poucas possibilidades de você ter um ganho absurdamente maior que os investimentos ortodoxos das agências bancárias.

É fácil ser um broker. Pedi uma autorização em meu banco, em seguida fiz um cadastro no banco e na Bovespa para ter acesso ao, digamos, “aplicativo” que permite investir (na verdade um link dentro do site ou app de seu banco).

Claro, para isso tive de deixar uma parte dos meus investimentos em uma aplicação com baixa automática (seu bolso define seu limite). Para que, assim que deparar com uma oportunidade, poder comprar (ou vender).

Sou um autodidata, portanto. Passei uns 10 anos investindo pouco (até R$ 10 mil) e aprendendo sobre o mercado de ações. Isso não cai do céu e demanda esforço. Quase todos os dias analiso o mercado de ações brasileiro por um tempo razoável (uma ou duas horas, estimo).

Se você não sabe do que estou falando primeiro leia este texto

Como já escrevi aqui, e repito, investir na Bolsa exige um certo sangue-frio, mas não tão gelado quanto o noticiário cotidiano o faz pensar.

E por que digo que demanda esforço? Porque se tornar um broker bem sucedido depende basicamente só de você. Não há uma cobertura completa e nem mesmo séria de mercado de ações na chamada grande imprensa, com raras exceções. Você pode assinar algumas letters ou relatórios de empresas de análise, mas isso não é muito barato.

Um investimento que pessoalmente acho que vale a pena, porém, é ter uma assinatura do “Valor Econômico”. É um veículo sério nesse assunto. Já investi e comprei ações porque li alguma entrelinha no meio de suas reportagens econômicas e tive a “sacada”.

Por outro lado não adianta você pedir ajuda ao gerente de seu banco. Ele poderá indicar a você um “fundo de ações” ou de investimento, mas tenho aprendido que para você lucrar muito dinheiro na Bolsa as chances estão em umas poucas ações, não em um fundo.

Eu conto uma de minhas experiências bem sucedidas neste texto: investi R$ 100 mil em ações de uma empresa e 20 meses depois tinha lucrado (lucro líquido, depois de pagar IR) R$ 211 mil. Ou seja, comecei com R$ 100 mil e acabei com R$ 311 mil em menos de dois anos.

Após este imenso prolegômeno (ou nariz de cera, como se diz no jornalismo) passo a dar minhas impressões sobre se vale ou não a pena você investir em ações neste ano do Senhor de 2018.

DEVO INVESTIR NA BOLSA EM 2018?

Se você leu os textos anteriores e ainda está aqui, minha resposta de bate-pronto para a pergunta acima é sim.

O que devemos olhar antes de investir em ações? Eu diria  que três pontos principais:

  1. O mercado
  2. O governo
  3. O mundo

MERCADO

Antes de mais nada, o dólar está acima da casa dos R$ 3,00. Como até as crianças sabem, o real não é lá uma moeda muito forte.

Embora a Bovespa tenha ganho fôlego e lucratividade no final de 2017, creio que ainda há muitas ações com preços subvalorizados e ou estagnados. Sempre há ações-empresas com enorme potencial de valorização.

Por exemplo, algumas estatais (federais e estaduais) que possam vir a ser privatizadas podem render muito lucro nos próximos meses-anos. Empresas que podem ser alvo de ofertas de aquisição por outras maiores, também.

Por uma questão ética e de ofício, não posso usar estes textos para indicar nominalmente ações para vocês comprarem. Porque eu invisto em ações e, a despeito de não ter influência no mercado, minha ideia não é virar um oráculo ou pitonisa. Mesmo porque essas coisas não existem no mercado de ações.

Mas existem vários segmentos que podem crescer muito: algumas empresas do setor de alimentício, químico e petrolífero podem continuar a crescer com o ainda soberbo fôlego importador chinês.

O GOVERNO

Como sabem, o caso brasileiro é um tanto sui generis. A Bolsa há algum tempo já se descolou do governo medíocre que temos.

A menos que a mão pesada do destino caia sobre Brasília, o atual mumificado governo peemedebista deve terminar o ano –e o mandato– sem maiores sobressaltos, é o que acredito.

No momento atual, não vejo risco de curto ou médio prazo de o governo de Michel Temer  cair. Ao contrário: ele inclusive vem ameaçando se candidatar ao cargo novamente.

Isso pode ser insuportável para oposicionistas, mas é agradável ao mercado, que gosta de estabilidade política (embora esteja meio que ignorando a conjuntura nacional).

Lembrem-se,  estou aqui falando de mercado e não ideologia. Quero ajudá-lo a ganhar dinheiro na Bolsa, e não fazê-lo se perder em devaneios políticos.

Então tudo indica que 2018 será um bom ano para o investidor em ações que for atento.

Por outro lado há várias operações policiais-federais em andamento, muitas decisões ainda não tomadas pelo (previsível) STF, mas nada que possa alterar a tendência de estabilização política e econômica.

O MUNDO

Mero exemplo: Suponhamos que  você tenha ações de uma empresa que exporte tungstênio e aí começa uma guerra na Ásia ou Oriente Médio (gente, estou exagerando de propósito).

Quando a guerra é deflagrada as bolsas do mundo todo vão desabar.

Porém, nas semanas seguintes ao início do conflito (seja lá quem ele envolver), com a sua continuidade, você certamente veria suas ações dispararem porque boa parte da indústria de armamentos e da guerra depende de tungstênio.

Outro exemplo mais comum: você tem ações de uma empresa há anos e de repente algum delator afirma que essa empresa pagou propina ou corrompeu fiscais (de qualquer coisa) nos últimos 10 anos;

Está mais do que claro que nesse caso suas ações vão desabar no mesmo dia. Mas isso não significa que a empresa irá falir e que você perderá todo seu suado dinheirinho.

O que quero dizer com esses exemplos hiperbólicos é que você não pode investir pensando que possa acontecer alguma desgraça que faça você ganhar ou perder muito dinheiro. Tem que confiar na sua intuição, sim.

Tem que contar com um pouco de sorte também. Mas não fazer adivinhações (ou mandingas).

PORQUE, SIM, PODE ACONTECER ALGUMA DESGRAÇA.

Há centenas de ações na Bovespa e eu sempre digo que uma boa forma de começar a selecionar onde investir é escolher empresas que você admire.

Leia mais sobre investimento em ações:

Como investir e ganhar dinheiro na Bolsa: lição 1

Investir na Bolsa é só para quem tem sangue frio: lição 2

Mercado de ações: Nunca acredite em oráculos

Veja a biografia de Ricardo Feltrin

Mais sobre Ricardo Feltrin no Google

Ricardo Feltrin no UOL

Sobre:

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Leave A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *